quinta-feira, 10 de junho de 2010

SALMO 23 (versão)



    
Sei que nada me faltará, Pastor amado.
Mas hoje me sinto oprimido e cansado,
Preciso repousar nos teus verdes campos,
Olhar as aves dos céus e escutar os cantos.
Sentir o frescor dos lírios que fizestes
Com o puro linho de tuas brancas vestes.

Leva-me a passear em águas tranquilas.
Preciso refrigerar minha alma ferida.
Restaurar minha força e o meu vigor,
Não quero pensar em nada Senhor,
Quero tão somente, caminhar ao teu lado,
Nas veredas da justiça, apoiado em teu cajado.

Se um dia sentir o perigo da morte,
Não temerei porque me tornaste um forte.
Preparas a frente de cada inimigo
Uma mesa repleta, e ceias comigo.
Unges minha cabeça com teu óleo, Senhor
E minha taça transborda com teu puro amor.

Porque sei que me honras e minha proteges
Sempre estarei nos átrios de tua casa,
Louvando-te no silêncio de minhas preces.
Rio, 20/05/2010


2 comentários:

Graci disse...

Querida mae,

Esse poema e maravilhoso e perfeito! De arrepiar e muito emocinante. Esse merece ser musicado, mas quanta responsabilidade diante dessa letra! rs...

Continui assim nos inspirando com suas belas poesias.

Deus te fez para ser uma adoradora, criada e moldada por Ele para encanta-Lo com toda essa arte e talento resplandecendo luz para todas as pessoas.

Amo muito voce,

Estou com saudade,
Beijos

sua filhota,
Graci

Chico Galvão disse...

Jay, voce me fez lembrar, da nossa adoravel mãe, quando constantemente nos obrigava a decorar este lindo salmo e até hoje em minhas horas silenciosas de oraçao, recito-o com muito prazer. Voce com muita inteligencia o descreveu com muita maestria. Que nosso Bom Deus, continue te iluminando para nos presentear com tão lindos versos.
Teu mano Chico Galvão