segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

ELIANE, MINHA IRMÃ . (plageando)Castro Alves.



São duas flores nascidas
Em Cafondó, lembro ainda,
Numa casinha ao sol,
Não tinha nem assoalho,
Mas flores cheias de orvalho
E o canto do rouxinol.

 Éramos muito pequenas
Mais leve que leves penas
Unidas por um só véu.
Vestidas, quais princesinhas,
Sentadas nas cadeirinhas,
Vendo as estrelas do céu.

Unidas, em doces cantos
No riso e até nos prantos
Alegres sempre a brincar.
Os pais olhavam com gosto,
As covinhas do seu rosto,
E o meu jeito de cantar.

Mas um dia...Ninguém espera!
Após longas primaveras.
A vida nos separou.
Mas como às rosas unidas,
Estaremos toda a vida,
No mesmo galho do amor!
Rio, 25/02/2017, Jailda Galvão Aires

Nenhum comentário: