segunda-feira, 7 de outubro de 2013

AMOR LIBERTO


Quero amar e ser também amada.
Eu sendo eu, tu sendo tu. Uma fusão de nós
Na minha liberdade, respeitar tua liberdade.
Ser eu mesma com todos os meus defeitos
Respeitar teus erros e acertos,
Sem violar a nossa identidade.

Almas distintas partilhando uma vida.
Sem regras, cobranças, paradigmas,
Uma troca de nós em sua própria essência. 
Conhecer sem castrar um só dos pensamentos,
Sendo nós mesmos em todos os momentos.
Fundir os corpos sem lograr a consciência

Quero te amar numa entrega sem medo
Beber na mesma taça sem aspirar a alma,
Voar juntos, livres sem algemas,
Sem roubo de sonhos ou de ideais
Sendo nós mesmos seremos muito mais
- Duas rimas distintas num único poema.
                   Jailda Galvão Aires -Ba.1972

Nenhum comentário: