quinta-feira, 31 de março de 2011

FANTASIA

Você apareceu de um súbito desejo
Um sonho real de noites repetidas
Surgiu de um grito, um forte lampejo.
Subitamente aterrissou em minha vida.

Você foi posse, amor, deslumbramento,
Tudo o que eu quis em frêmitos desejos.
Na doce entrega dos nossos momentos,
Liquidifiquei nos seus molhados beijos.

Você foi meu, minha ilusão querida,
O sol, o céu, meu respirar, meu ser.
Pra terminar num adeus que ficou mudo

Se hoje não é mais nada é só porque,
Nunca fui nem um dia para você
O que você foi para mim, tudo, tudo.
 (Ilhéus – Bahia. 1968)

Um comentário:

marcos disse...

Fantasia é uma doce poesia que nos coloca frente aos desejos mais nobres. A metáfora tem sido uma forte aliada dos poetas como uma obra de arte é para o pintor. A palavra como a imagem são grandes artes da interpretação humana.

Gostei do seu estilo.
Iara Santos de Carvalho Freitas